4. Trabalhos aceitos

VII Congresso Internacional SHB

Trabalhos Aceitos

(Inclui as submissões realizadas entre 02 e 22 de setembro)

OBSERVAÇÃO:

A Comissão Técnico-científica informa que somente poderão ser apresentados os trabalhos cujo pagamento da Taxa de Inscrição tenha sido efetuado.

  1. Adilson Felicio Feiler, A Vershönung e a Praxis: a reconciliação do Deus estranho na história, uma leitura do espírito do cristianismo e seu destino de Hegel e do Anticristo de Nietzsche.

  2.  André de Goes Cressoni, A origem da filosofia da história de Hegel na visão pantrágica do mundo.

  3.  Andrés Jiménez Colodrero, Hegel y Roma: Porqué Hegel no es un monárquico cesarista.

  4.  Agemir Bavaresco &Eduardo Garcia Lara, Indivíduos e heróis, paixão e razão na história hegeliana.

  5.  Alessandra Uchôa Sisnando, O Conceito de Estado Ético em Hegel e sua Relação com a Liberdade e a Subjetividade.

  6.  Cesar Augusto Ramos, A interpretação hegeliana da modernidade e o seu sentido homológico com o conceito autorreferencial de liberdade.

  7.  Cleiton Gil Barbosa, O historicismo de Hegel e a crítica contemporânea de Nietzsche e Vattimo.

  8.  Christian Gerhart Iber, Historicidade da filosofia em Hegel e Heidegger.

  9.  Danielle Lima de Paula, A negação da liberdade pelo crime na visão hegeliana.

  10.  Danilo Ribeiro Peixoto & Paula Miller Starling, Constituição, direitos fundamentais e realização da liberdade.

  11.  Danilo Ribeiro Peixoto & Ricardo Henrique Carvalho Salgado, A Revolução Francesa e sua influência na vida e no pensamento de Hegel.

  12.  Dennis Donato Piasecki, List der Vernunft e Wille zum Leben: aproximando Hegel e Schopenhauer.

  13.  Eduardo Luft, O conceito de história.

  14.  Eduardo Tergolina Teixeira, Considerações sobre Filosofia da História em constante referência aos pensamentos hegeliano e benjaminiano: olhares sobre a história e a memória.

  15. Emerson de Lima Pinto, Hegel (des)velado por Gadamer: considerações sobre o pensamento grego e a dialética na Filosofia do Direito e na História.

  16.  Fábio Mascarenhas Nolasco, A História Crítica da Análise: aspectos da tese hegeliana sobre a necessidade histórica da superação da matemática pela filosofia na Lógica do Ser de 1832.

  17.  Francisco Luciano Teixeira Filho, A história não acabou: por uma teoria da história que não exclui suas possibilidades.

  18.  Gonzalo Tinajeros Arce, El movimiento histórico conceptualizante de la conciencia científica em el saber absoluto.

  19.  Greice Ane Barbieri, A ação na história e a influência da personalidade do sujeito.

  20.  Gustavo Chataignier Gadelha, Astúcias cegas e razões da contingência – notas sobre a reversão hegeliana.

  21.  Halina Macedo Leal, O fim da história em Hegel: a relação entre liberdade e Estado.

  22.  Héctor Oscar Arrese Igor, Entre el reconocimiento del otro y la formación por medio del trabajo. Derecho y mercado en el Fichte de fines del siglo XVIII.

  23.  Horacio Martín Sisto, Bosquejo de una teoría del conocimiento histórico desde la Fenomenología.

  24.   Humberto Schubert Coelho, Abordagens recentes do caráter histórico do homem.

  25.  Jair Antunes, Marx e a história nos Grundrisse.

  26.  Jairo Ferreira & Rafael Hiller, Peirce e Hegel: possíveis aproximações e tensões com a dialética marxiana.

  27.  João Alberto Wohlfart, Ideia, história e sistema em Hegel.

  28.  José Carlos de Castro Dantas, O Estado hegeliano como ápice da construção histórica da eticidade.

  29.  José Aldo Camurça de Araújo Neto, A astúcia da razão: a crítica de Castoriadis à concepção hegeliana de História.

  30.  José de Magalhães Campos Ambrósio, O negativo e a história: um contraste entre o antagonismo kantiano e a dialética hegeliana.

  31.  José Eduardo Marques Baioni, Entre Oriente e Ocidente: a Judéia na Filosofia da História de Hegel.

  32.  José Luiz Borges Horta, Hegel, paixão e história.

  33.  Kherlley C. B. Barbosa, Elementos da interpretação da filosofia da história de Marx e de Hegel em Hannah Arendt.

  34.  Leandro A. Xitiuk Wesan, A manifestação da razão na história.

  35.  Lincoln Menezes de França, Hegel leitor de Aristóteles e a questão teleológica na História: levantamento do problema.

  36.  Maglaine Priscila Zoz, O rebento tardio do tempo: A crítica nietzschiana a noção de progresso hegeliana.

  37.  Maria Celeste de Sousa, História e Sistema: Lima Vaz leitor de Hegel.

  38.  Marloren Lopes Miranda, Hegel e as rédeas da carruagem filosófica: a hora de elevar a filosofia à condição de ciência.

  39.  Patrícia Riffel de Almeida, A necessidade da contingência e a contingência da necessidade.

  40.  Paulo Roberto Konzen, Historie e Geschichte na Filosofia do Direito de Hegel.

  41.  Pedro Geraldo Aparecido Novelli, Dos motivos para a filosofia da história em Hegel.

  42.  Ricardo Pereira Tassinari, O Especulativo Puro e a História: ensaio de uma interpretação.

  43.  Rosa Elena Belvedresi, Tiempo histórico y futuro en la filosofía de la historia hegeliana.

  44.  Rosana de Oliveira, A concepção de história no Hegel de Frankfurt.

  45.  Silvana Colombo de Almeida, Liberdade e Direitos Humanos em Hegel.

  46.  Tarcilio Ciotta, A Filosofia da história hegeliana e os estados particulares.

  47.  Verrah Chamma, Hegel e Marx sobre as possibilidades e limites da 1a Revolução Francesa (1789-1799)

  48.  Vinicius Batelli de Souza Balestra, Imagens da História: as filosofias da história de Hegel e Benjamin nas representações de “Napoleão Cruzando os Alpes” e “Angelus Novus”.